Tuesday

O conhecimento do Mundo

Mapa-mundo do geófrago árabe Al-Idrisi
Séc.XII


Mapa-mundo do  grego Ptolemeu
Séc II


O conhecimento que os europeus tinham do mundo era muito limitado. Baseava-se nos autores gregos e romanos de havia quase dois mil anos. Baseava-se na autoridade dos antigos e nos textos sagrados dos sagrados autores da palavra de Deus, a Bíblia à cabeça. Baseava-se em mapas imprecisos e feitos a partir de relatos de alguns comerciantes e viajantes europeus que misturavam factos e ficção ajudando assim a alimentar e a manter uma mentalidade supersticiosa em que comummente apareciam monstros e seres imaginários.




Não é por isso de admirar a influência que o Livro das Maravilhas de Marco Pólo teve na formação do “espírito científico” da época e nos apreçam mapas do mundo com apenas três continentes e demasiado imprecisos para se chegar a algum lado, ou o mundo como um T e um O e quatro rios.

Em princípios do séc XV, o século das descobertas, o mapa tido como a mais correcta representação da terra e dos continentes ainda era o de Cláudio Ptolomeu, velho de quase mil e trezentos anos. Em nenhum deles, se admite uma ligação por mar entre o Atlântico e o Índico. A África alongava-se para Oriente depois do Sahara.

Nos mapas árabes, nesta altura, o sul aparecia em cima. Este é o mapa de Al-Idrisi com orientação a norte.


Acreditava-se que a terra era plana e que os navios, se conseguissem chegar ao fim do mundo cairiam no abismo. O mar tenebroso, albergava seres capazes de engolir um navio inteiro com um abrir de boca e , em terra, havia zonas tão quentes que era impossível lá viver alguém. Morreria queimado com o calor do sol.

Não era de pouca monta a tarefa que os navegadores do Infante e depois de D.João II e de D.Manuel I empreendiam dia após dia, ano após ano. Mas o mar, com todos esses perigos, medos e segredos era também a estrada por onde se podia partir à aventura, encontrar novos mundos, arranjar uma vida melhor.

No comments: